sábado, 17 de Março de 2012

Once again, a merda da RTP (desculpem a expressão, mas já que cortam o que o António Salvador diz, a mim não cortam)


  • Para quem tem 2 dedos de testa basta pensar:
  • o excitx dos perdedores na comunicação social
  • 1994 - a TVI era da Igreja e tinha pouco mais de 14% de share médio, os seus responsáveis enchiam páginas de jornal com discursos enérgicos contra as audiências, a metodologia e os seus fracos resultados
  • 1995 - a SIC começou a vencer nas audiências, foi a RTP e os seus responsáveis máximos que passaram a questionar os novos números
  • de 2000 para 2001 - a TVI subiu 10 pontos de share em média no ano, foi a SIC que se juntou às vozes da RTP a questionar os resultados
  • Depois, quando os canais do cabo começaram a subir vertiginosamente lá apareceram todos os canais generalizas a tentar dizer que os que achavam que o cabo ia matar a televisão terrestre estavam enganados. Hoje o cabo é líder e a história repete-se: o mercado tem novos números e o canal do Estado fragilizado na Informação, em vez de fazer mais e melhor porque está realmente a perder telespectadores desde o final de 2011, abre uma guerra declarada na sua própria antena contra um novo inimigo. 
  • E trabalharem, não?

       E notem, a responsável era a Marktest!!

sexta-feira, 9 de Março de 2012

A vergonha da comunicação social, não há censura?

Bem, dentro de todo este panorama das audiências que me é muito próximo e sabendo todos nós como funciona a comunicação social, estou revoltada. Mas de nada serve defendermo-nos quando temos um canal estatal que monopoliza e serve os seus interesses.
Foi dada uma conferência (transmitida esta manhã também na RTP) em que a comissão de análise de estudos de mercado "tentou" explicar e desmistificar toda esta peixeirada da RTP.
Digo "tentou" porque cada vez que não abonava à estação de televisão, a emissão era cortada. Cortada!! Em directo!! Não há censura???? Eu cá não vejo a informação a ser transmitida com transparência.

Aconselho vivamente os meus amigos a ver a conferência inteira (que tenho alegremente gravada) para vosso deleite.

Ó meus queridos...não acham que estão a dar muito nas vistas?

E depois o José Rodrigues dos Santos, com os seus tachinhos, que tem agora a mania que escreve sobre Deus e tudo mais, dá uma notícia execrável sobre esta situação!! Mas nem sabe do que fala!! Os aparelhos foram comprados na feira da ladra? Ó filho com o dinheiro de um aparelho até podias fazer uma cirurgia aos abanos!!

Mas vejamos aqui o nosso amigo Francisco Penim, que só teve direito a uma coluna, infelizmente. Não sei porque é que a RTP não faz uma entrevista com ele e não refere estes dados...porque será?? Há palpites??

Francisco Penim in Diário de Notícias

Primeira Fila
Os discursos e as audiências

'Ouvi o responsável pela GfK dizer algo como: "Não estou preocupado com os resultados das audiências, só estou preocupado com os procedimentos que permitem achar os resultados". Eu gosto deste pragmatismo, saúdo-o e, na verdade, não estou preocupado com as empresas que fornecem os resultados das audiências, só estou preocupado com os procedimentos que elegeram a empresa que hoje tem essa responsabilidade em Portugal. Se a GfK é tecnicamente melhor e mais bem apetrechada do que a Marktest não se podem discutir os presentes resultados. De facto, não se podem! Se a GfK foi apenas a que apresentou uma proposta financeiramente mais acessível, ou a que os "interesses instalados" decidiram eleger, então é legítimo que se estranhe os resultados das audiências. Haverá alguém que possa provar isto? Para já de uma coisa não nos livramos: eis a inflamação dos perdedores na comunicação social. Quando em 1994 a TVI era da Igreja e tinha pouco mais de 14% de share médio, os seus responsáveis enchiam páginas de jornal com discursos enérgicos contra as audiências, a metodologia e os seus fracos resultados. Quando a SIC começou a vencer nas audiências em 1995, foi a RTP e os seus responsáveis máximos que passaram a questionar os novos números. Mais tarde, de 2000 para 2001, quando a TVI subiu 10 pontos da share em média no ano, foi a SIC que se juntou às vozes da RTP a questionar os resultados. Depois, quando os canais do cabo começaram a subir vertiginosamente lá apareceram todos os canais generalizas a tentar dizer que os que achavam que o cabo ia matar a televisão terrestre estavam enganados. Hoje o cabo é líder e a história repete-se: o mercado tem novos números e o canal do Estado fragilizado na Informação, em vez de fazer mais e melhor porque está realmente a perder telespectadores desde o final de 2011, abre uma guerra declarada na sua própria antena contra um novo inimigo. Os próximos dias trarão mais guerras políticas, de palavras, de influências, poder e interesses. E o trabalho, empenho e esforço? Eu espero que estejam alinhados nestes próximos dias.'


Contra factos não há argumentos. 

domingo, 4 de Março de 2012

Fotografia Portuguesa

Começando agora as aulas de fotografia, em que eu não conhecia um único nome de fotógrafos portugueses, apercebi-me de uma coisa. Para se ser fotógrafo em Portugal o 1º requisito é chamarmo-nos José. 1-0 para as mulheres, a não ser que sejam travestis.

Tratei de fazer umas pesquisas para ver os trabalhos de alguns nomes referidos. Deixo aqui algumas fotografias dos não-josés (só para contrariar), como Eduardo Gageiro:








Assim como estes trabalhos de Gérard Castello-Lopes, que adorei:











segunda-feira, 20 de Fevereiro de 2012

Carnaval

Já que estamos no Carnaval, podemos falar no tema "palhaços". Desde pequena que não aprecio muito os palhaços, não só por não terem muita piada mas porque aquela vestimenta é um bocado depressiva. Tirando algumas máscaras de Carnaval com uma pintura bem feita, em que é que se baseia um palhaço? Nariz vermelho, peruca afro (ou de fitinhas brilhantes) e uma boca horrivelmente rasgada a fazer lembrar histórias de serial killers (em que rasgam a boca da vítima). Que pânico!






Mas onde é que isto é giro? Matem-me já! É normal que existam 90% de criancinhas bem pequeninas que têm medo e desatam a chorar assim que os vêm! Olhem só para este último, ele devia tirar isto da net!! Isto devia estar incluído no controlo parental junto com a pornografia!
E depois temos a proeza McDonald, Ronald McDonald:


Horrível, horrível, horrível. Não é giro, não tem piada e baseia-se em amarelo, vermelho e branco. Até faz doer os olhos. E quando pensávamos que isto não podia piorar, eu mostro-vos o 1º Ronald McDonald:


Really???? Wtf??? Um copo no nariz, uma cara maléfica, uma caixa com um menu na cabeça...Há pessoas que deviam mesmo ficar quietinhas em casa a ver televisão...

Casos para abate


Casos destes devem mandar-se abater na hora!! E para melhorar, toda a conversa é processada num wannabe português.
O Joel arrependeu-se numa hora, é um bom timing, rapidíssimo. Soraya para a próxima espera 24 horas até actualizares o teu estado, uma horinha também não custava muito. E estavas à espera que ele pusesse aí um like, era?
Nuno, estás lá!






quarta-feira, 15 de Fevereiro de 2012

Redes Sociais

Cada um usa o facebook ou qualquer outra rede social como lhe apetece. Eu, na minha modéstia opinião, acho que há limites mas há pessoal que gosta de mostrar tudo, contar tudo. Eu acho que isso é triste, deprimente, e solitário mas ao mesmo tempo é FANTÁSTICO!!
E porquê? Porque nos podemos rir imenso!

Duas pérolas da mesma pessoa:




Só tenho uma coisa a dizer: Isabel (10) - (0) Inês

E agora está na moda as páginas com frases inspiradoras. Umas delas são giríssimas, até rebolo de rir mas há outras que o pessoal escreve no estado, como se fosse da autoria deles, com muitas reticências, com muitos corações e tudo o que apele à melancolia e ao sentimento para fazer um "cha-naan"! - isto sim, é horrível.

Coisas do género: "Preocupo-me mais com a minha consciência do que com a minha reputação. Porque a minha consciência é o que eu sou, e a minha reputação é o que os outros pensam de mim. E o que os outros pensam... é problema deles!" - Ó filha, nota-se mesmo que não estás preocupada...